• Gabriela Leite

Quando foi que a leitura se tornou um fardo para nós?

Atualizado: Mar 30



Vivemos em uma sociedade imediatista em que tudo parece acontecer de forma muito rápida e que, muitas vezes, nos leva a valorizar mais a quantidade do que a qualidade das coisas. Quantos likes? Quantos comentários? Todo esse imediatismo chegou também ao âmbito literário. Somos rodeados por influencers literários – e por que não nossos próprios amigos leitores? – que batem metas de leitura: 30 livros por semestre, 100 por ano, e a lista continua...


Por muitas vezes, ficamos tão cansados de tanta informação e agilidade que acabamos caindo no “conto do super leitor”, que lê muito em pouquíssimo tempo. Bom, eu caí nessa pegadinha e não houve um período em que eu tenha me cansado mais mentalmente do que esse. Eu era o meu próprio algoz, torturando-me por não ler tanto quanto eu gostaria e esperava. Mas... é a leitura esta grande tortura? Não somos nós leitores justamente por causa da liberdade que a leitura nos provoca?


Repensar hábitos é uma coisa muito complicada. Estudos apontam que é preciso um tempo determinado de 21 dias para que uma ação se concretize como hábito. Mas como se tornou difícil persistir nesses hábitos de leitura, certo? Somos bombardeados pelas notificações a todo momento, o que acaba nos distraindo da leitura. Somos seduzidos pelas leituras rápidas de posts e tweets que acabam minando a nossa habilidade de concentração única em algo por um tempo mais longo. Ufa!


Como, então, criar um hábito de leitura saudável? Tentarei te mostrar como eu me tornei – novamente – uma leitora livre de "autotortura" e plena no prazer de ler pela arte de ler.


1) Faça metas pequenas

É um pouco estranho pontuar isso porque nós acabamos pensando que fazer metas pequenas nos induz, ligeiramente, a ter planos de conquista pequenos. Bom, se eu sei que não lerei um livro inteiro em dois dias, para que, então, traçar uma meta que não vou cumprir? Mas, se eu tenho certeza de que consigo ler de dez a quinze páginas por dia, ou, para os amantes dos leitores de e-books, dez por cento de um livro por dia, eu devo me fixar nesta meta em específico. Por que metas pequenas? A chance de me frustrar é menor; e sabemos que frustração acaba nos levando à desistência do projeto, etc. Então, meu querido, minha querida, lance-se sem pressa e sem receios às metas pequenas. Encare isso como um renascimento do seu hábito. Afinal, ninguém começa a treinar corrida correndo quinze quilômetros nos primeiros dias de exercício, certo? Precisamos colocar os pés no chão e não ultrapassar os nossos limites próprios.


2) Leia o que você gosta

Estou saturada do discurso de que você só é leitor e apreciador de literatura se você se atém aos grandes nomes da literatura mundial. Você não é obrigado a nada! Leia o que te faz feliz e pleno como consumidor de literatura, ok? Navegue pelas redes sociais de livros buscando títulos associados às suas leituras favoritas e embarque neles. Óbvio que não estou te influenciando a permanecer na sua zona de conforto literária, mas a saber o que você gosta e não gosta para que não comece um livro e não o termine por não ser a sua praia. Estamos procurando evitar o que eu chamo de “frustração literária”, lembra? Seja firme! Não acredite no mito do guiltypleasure! Você gosta do que você gosta e não precisa se sentir culpado sobre isso. Estamos combinados?


3) Comente e compartilhe a sua leitura em alguma rede social

Querendo ou não, sabemos que a exibição é o novo tchan do século XXI: postamos fotos, stories, comentamos e curtimos. Agora... pense. Não é legal quando compartilhamos algum projeto e os comentários e likes nos fazem persistir naquele trabalho? Talvez com a leitura seja bem parecido. Leu as suas dez páginas do dia? Compartilhe o seu progresso – e por que não sucesso? – com os seus seguidores em suas redes sociais para que você seja impulsionado a prosseguir na sua meta de leitura.

O Goodreads, uma rede social literária, tem um sistema super bacana em que você pode postar o seu progresso de leitura junto com um comentário sobre o livro que você está lendo. Não é genial? Às vezes, me pego lendo livros avidamente para ser motivada a continuar lendo e poder fazer comentários engraçadinhos sobre os meus pontos de vista sobre a obra. É meio bobo? Pode até ser, mas eu me sinto muito bem podendo compartilhar e comentar sobre o que estou lendo. Talvez eu vá ser a ferramenta de alguém que deseja muito começar aquele livro, mas não saiba se é a sua praia. Simples, né?


4) Faça resenhas e as publique

Descobri que eu gosto de fazer resenhas. Esse é o momento em que você pode expor tudo o que você achou e entendeu do livro terminado. E como é bacana a sensação de finalizar uma obra e resenhá-la utilizando a sua própria voz para isso. Motivação! Estamos falando de instrumentos que nos inspiram a sermos curiosos sobre o que estamos lendo. Anote pontos vitais sobre o livro durante o seu progresso, marque frases, ideias que te fizeram refletir e coloque a sua opinião para jogo. Afinal, existe maneira melhor de utilizar a sua voz?

Todos esses métodos teóricos são maravilhosos, espero que você encontre o que funciona pra você. Aqui coloquei os truques que me motivam, cada vez mais, a um hábito saudável com as minhas metas, etc. Hoje, espero que você consiga olhar com mais amor para a sua leitura!


Caso experimente algum desses truques, lembra de compartilhar comigo?


Pensando livros, descomplicando a publicação, tudo isso sendo uma editora idealizada por profissionais dedicados e comprometidos com a arte literária.

© 2019 por We Coletivo Editorial. Criado orgulhosamente por Clarissa Winter

  • Facebook
  • Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone LinkedIn

We Coletivo Editorial

Rua Marechal Floriano Peixoto, 125, Centro, Petrópolis/RJ

37.203.019/0001-45

(24) 99917-0131

wecoletivoeditorial@gmail.com