Resenha: A Viajante do Tempo

Editora: Arqueiro Ano: 2014 Páginas: 752 Autora: Diana Gabaldon Resenha: Em 1945, Claire Randall, após oito anos trabalhando como enfermeira de campo, durante a Segunda Guerra Mundial, reencontra seu marido Frank, que também serviu ao exército. Depois de tanto tempo separados, eles decidem fazer uma segunda lua de mel e viajam para Inverness, nas Ilhas Britânicas. Frank era um historiador e, chegando lá, quis saber mais sobre seu passado, pesquisando sua árvore genealógica e a história daquele lugar. Naquela época, a Escócia era cercada de mitos pagãos e rituais. E, um dia, após presenciar um ritual de dança feito por moradoras dali, envolta das pedras de Craigh Na Dun, Claire fica fascinada e resolve voltar semanas depois nas pedras para tentar decifrar o mistério por trás delas. O que ela não previa era que, ao encostar-se às pedras, acabaria viajando através do tempo, para cerca de 200 anos antes daquele momento. Meio perdida e sem entender o que havia acontecido, Claire se vê em um cenário de guerra entre ingleses e escoceses e a primeira pessoa que encontra é o soldado Black Jack Randall – o antepassado de Frank – que, de primeira, ela acha que é o seu marido, mas logo percebe que é apenas um soldado muito parecido com ele em aparência física, mas em caráter, nem um pouco. Logo em seguida, é salva por um grupo de escoceses que a liberta das mãos do sádico Jack bem a tempo de algo pior acontecer. Após ser salva, Claire vê que um dos soldados – James Fraser – foi baleado e então se oferece para tratar do ferimento. Ali, os escoceses decidem que ela seria de grande ajuda e que deveriam ficar com ela, até porque ficam na dúvida se ela é ou não uma espiã inglesa e a levam com eles para sua viagem até a casa de Colum Mackenzie, o chefe do clã a quem serviam. Claire percebe, finalmente, que está em 1743, um período bem violento, e durante o trajeto com os escoceses tenta voltar de diversas formas até as pedras para atravessar novamente para o seu tempo, mas sempre há um contratempo que a impede. Durante uma das tentativas, Claire é pega pelos soldados ingleses e levada ao capitão Jack Randall e, por pouco, Jaime a salva novamente das garras do capitão que tentou estuprá-la. Para se livrar de vez de Jack, Claire é obrigada a casar com Jaime, pois o capitão só não a iria perturbá-la novamente se fosse casada com um escocês. Ela então começa a se apaixonar por Jaime, mas sente-se culpada por ter deixado Frank em seu próprio tempo e começa ali uma luta interna entre desejar voltar à sua vida antiga ou viver uma nova vida ali nas Terras Altas. A Viajante do Tempo é o primeiro livro da saga Outlander e é narrado pela personagem principal, a Claire. A autora apresenta uma narrativa fluída e totalmente rica em detalhes, trabalhando muito bem o contexto histórico da época. E faz com que o leitor tenha interesse em descobrir o desenrolar da história e o que acontecerá com Claire. Apesar de ser um livro grande e ser o primeiro da saga, recomendo a todos que gostam de uma boa aventura misturada com contextos históricos. Esse é mais um livro que teve adaptação para série de Tv, chamada Outlander, que você encontra disponível na Netflix. Por sinal, a série é muito boa e a primeira temporada é bem fiel ao primeiro livro.

Pensando livros, descomplicando a publicação, tudo isso sendo uma editora idealizada por profissionais dedicados e comprometidos com a arte literária.

© 2019 por We Coletivo Editorial. Criado orgulhosamente por Clarissa Winter

  • Facebook
  • Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone LinkedIn

We Coletivo Editorial

Rua Marechal Floriano Peixoto, 125, Centro, Petrópolis/RJ

37.203.019/0001-45

(24) 99917-0131

wecoletivoeditorial@gmail.com